sábado, 19 de novembro de 2011

Introdução - Aprender programação com o AutoIt

Hoje vai começar o primeiro artigo da série: Aprender programação com o AutoIt. Esta série tem como objectivo, ensinar a programar com base no AutoIt, pois para mim é uma linguagem muito parecida com as linguagens comerciais. E actualmente, como ninguém quer gastar dinheiro, o AutoIt é a linguagem eleita.
Programação é a introdução de dados para o computador a fim de interpretar e executar, para fazer determinada tarefa. Tudo o processo, desde quando se liga o computador até quando vai imprimir o que acabou de escrever, foi programado por alguém. O computador está disposto a fazer o que nós bem quisermos, desde que lhe demos os procedimentos correctos para executar a tarefa.
E para darmos os procedimentos, usamos uma linguagem de programação por escrito. Na realidade o computador só entende uma linguagem, o código máquina: uma sequencia de 0 (zero [desligado]) e 1 (um [ligado]). Mas essa linguagem seria muito difícil de nós interpretarmos. Por isso, existem as linguagens de programação, são até chamadas de linguagens de programação de alto nível. São linguagens compressíveis pelos humanos, normalmente com palavras (keywords) em inglês. Mas, como o computador entende essa linguagem, se só “percebe” 0 e 1?
Agora é que entra o compilador. Quando o programador quer testar as instruções para o computador (código), primeiro terá de executar o compilador. O compilador feito para essa linguagem; interpreta o código, e depois converte esse código para o código máquina. O processo de compilação difere de linguagem para linguagem, mas normalmente faz isto:
  1. Analise lexicográfica [scanner] (analisa o código, de modo a não ter erros de escrita)
  2. Analise sintáctica [parser] (analisa o código, convertendo-o para um código estruturado [código objecto])
  3. Gerador de código intermédio (gera o código máquina não optimizado)
  4. Optimização do código intermédio (optimiza o código, de forma a ser um ficheiro mais pequeno e mais rápido de executar)
  5. Gera o ficheiro executável (ficheiro totalmente convertido e optimizado para código máquina)
E o AutoIt é uma das milhares de linguagens de programação, que utiliza uma linguagem perceptível ao humano e depois converte para código máquina.
Conclusão Para mim programar é uma coisa divertida, pois eu gosto de saber como as coisas se fazem e que funcionem ao meu gosto.
O limite para a programação é a sua imaginação. É uma arte! Sim, programar é uma arte; pois ninguém programa da mesma forma. Para se fazer um procedimento existem 1001 maneiras de se fazer!
Bem por hoje é tudo, e no próximo artigo, vamos começar já com o básico da programação em AutoIt!
Qualquer dúvida, não hesite! Coloque-a aqui!

Fonte: tutorialautoit.blogspot.com

Nota:

0 comentários:

Postar um comentário

Proibido palavras ofensivas, racistas ou descriminatórias.

[Seu Comentário será liberado no máximo em 24horas]